* *

REELEIÇÃO E SEU CUSTO

Após alguns meses de disputa acirrada, a Presidente Dilma foi reeleita e o PT governara o País por mais 4 anos.

Publicação: 05/11/2014

Após alguns meses de disputa acirrada, a Presidente Dilma foi reeleita e o PT governara o País por mais 4 anos. Segundo afirmou o Ministro Guido Mantega, a reeleição prova que a “sociedade aprovou a administração petista”.

Pelos resultados das urnas não parece que foi bem assim. A politica econômica petista teve aprovação maciça nos estados do Norte e Nordeste e perdeu nos estados do Sul e Sudeste que são, exatamente, os Estados que puxam a economia. A diferença de 3% nas apurações não permite ao Ministro afirmar que o povo aprovou ou aprova a politica econômica imposta pelo PT. Pode-se afirmar, no entanto, que a politica assistencial desencadeada pelos governantes foi fator determinante para a vitória. 38 milhões de votos vieram exatamente dos beneficiados pelo Bolsa Família, o que nos autoriza a concluir que, sem esse auxílio, o PT não teria mais que 18 milhões de votos. Quase 50% da população tem conhecimento dessa manobra e não estão satisfeitos com a situação. Teremos por mais quatro anos, um governo sem legitimidade politica para governar e, pior, em momento algum a Presidente Dilma deu mostras de que a atual politica econômica seria repensada ou  modificada e a  fala do Ministro da Fazenda comprova esse lamentável fato. O Brasil continuara sendo administrado de forma equivocada e ultrapassada. Os próximos anos serão de agruras e de profunda depressão econômica.

 

Neste ano de 2014 nada menos que 23 milhões de cidadãos estão inadimplentes. Das 7 milhões de empresas que temos no País 3.500 três milhões e quinhentas mil empresas também estão inadimplentes. Esses dados, por si só, desmentem a política desenvolvimentista que o governo afirma ter implantado e escancara um quadro de recessão que se agrava e vitimara o País como um todo.

O governo e os bancos tem sido os grandes responsáveis pelo travamento da economia pátria. Impossível um pais crescer de forma sustentável, tendo sua população, os setores produtivos e o comercial, espoliados diuturnamente por juros e impostos criminosos.

O setor bancário nada produz, não gera riquezas, não traz divisas para o País, é o segmento que menos emprega, é o setor que mais sonega impostos, vive da especulação, enriquece às custas de quem trabalha e, curiosamente, é o setor mais protegido. O setor produtivo que paga impostos, gera empregos e traz riquezas para o País e o campo que produz alimento estão abandonados e prensado por Juros, Impostos e Encargos Sociais que inviabilizam sua sobrevivência e o Governo que nada produz e sequer sabe administrar é o que mais gasta.

 

O Governo Petista, lamentavelmente, demonstra estar insensível a essa preocupante realidade. Para nossos governantes “o povo aprova essa politica” tanto assim que foram reeleitos para um quarto mandato. Nada vai mudar. Esta tudo certo!

 

É uma pena que seja assim. O belo e rico Brasil merecia oportunidade melhor.

 

ANDIF ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DEFESA DOS CONSUMIDORES DO SISTEMA FINANCEIRO

Donizét Píton



Últimas Notícias

Proteção dos Dados: “Nos últimos 30 anos, essa é a primeira Lei aprovada que tem real peso na vida do cidadão”, destaca presidente da ANDIF

15/08/2018

Para que o cidadão não seja alvo e vitima de empresários gananciosos é absolutamente necessário ainda, a implementação de Lei que discipline a atuação das empresas, ressalta Donizét

Compra com dois cartões de crédito pode levar o consumidor ao superendividamento

15/08/2018

O mais indicado é quitar as compras já existentes no cartão para aumentar o limite de crédito disponível até que o valor seja suficiente para realizar a aquisição

Aposentadoria: Metade dos brasileiros não planeja futuro e conta apenas com o INSS

15/08/2018

Levantamento aponta que dois em cada dez brasileiros (21%) apostam em outras formas de sustento na velhice

+ Notícias

Redes Sociais

Atendimento ao Consumidor

Empresas

Baixe Gratuitamente

Projeto: Mídia Consulte