Webmail

* *

08/08/2016
BRASIL DOS NOSSOS DIAS
Imagem de BRASIL DOS NOSSOS DIAS

 

Já ficou cansativo falar do panorama sócio-político-econômico deste imenso País.

Pouco a acrescer naquilo que diariamente vem sendo comentado nos veículos de comunicação até porque o sistema implantado não tinha como dar certo mas, não da pra calar.

O que nos estarrece é a gana com que os sindicalistas e supostos idealistas se agarram ao poder - escada que se apresenta como única saída para a ascensão na escala social. Esses, que um dia foram trabalhadores, desconhecem a ética e sacrificam qualquer valor moral para não voltarem a ganhar a vida como meros assalariados.

A partir do momento que sentem o gosto do poder e todas as benesses que tal status pode lhes proporcionar, aprimoram o discurso socialista e induzem aqueles que também querem gozar a vida sem maiores esforços a apoia-los.

Assim, formam imensos grupos de falsos idealistas cujo único objetivo é o de ganhar a vida sem maiores esforços. No entendimento desses “revolucionários” o patrimônio construído por um cidadão ao longo de uma vida inteira, deve ser repartido entre aqueles que fogem do trabalho.

Bem esse discurso socialista, completamente insano, voltou a tomar corpo no Governo Petista. Como é sabido, em todos os países em que foi implantado, esse sistema resultou em enorme fracasso. Por aqui mal iniciaram e já dilaceraram a economia.

A filosofia socialista desposada por esses falsos idealistas peca pela base. No sistema defendido por eles alguns poucos trabalham, o dinheiro é repassado para as mãos desses malandros e eles, repassam migalhas para a maioria retendo a maior parte para si e demais comparsas do partido.

Na verdade o que eles defendem, não é construção de um País nos termos marxistas, que também não dá certo mas, trabalham na formação de uma grande e legalizada quadrilha que, pela força bruta, toma o dinheiro e patrimônio de quem trabalha.


          

Trata-se, a bem da verdade, de uma adaptação abrasileirada do comunismo. Em poucas palavras querem a volta da ESCRAVIDÃO onde uns trabalham e os demais se divertem.

Pela criatividade com que lidaram com a economia do País, pode-se perceber claramente o grau de conhecimento e reais intenções desses quadrilheiros.

Aprenderam rapidamente que, na falta de dinheiro, bastava emitir TÍTULOS DA DÍVIDA PÚBLICA e vende-los aos banqueiros. Agiram como o filho inexperiente que assume uma empresa do dia pra noite. Diante da primeira dificuldade, em vez de encontrar saídas criativas para a empresa, emite duplicatas e as vende para bancos ou empresas de factoring. Em poucos meses a empresa está falida.

O mesmo ocorreu com a economia brasileira. Em vez de fortalecer o setor produtivo que gera empregos, paga impostos e traz divisas para o País, emitiram “duplicatas frias” de forma irresponsável, venderam esses títulos para os banqueiros e iniciaram a mais desavergonhada e criminosa gastança. A canalhada descobriu que não precisa ser criativo para arrumar dinheiro, basta mandar emitir títulos que os bancos compram.

O resultado esta aí. A economia estraçalhada, o endividamento interno beirando os três trilhões de reais e o País pagando, só neste ano, quase R$ 550 bilhões só de juros aos bancos. Esses canalhas não erraram – estão todos ricos! Nós teremos que pagar a conta. E eles afirmam que é golpe! Concordo! O PT – Partido de Trambiqueiros – nos deu o maior golpe!

 

DONIZÉT PÍTON

 


Leia mais

Baixe Gratuitamente

Redes Sociais

Projeto: Mídia Consulte